Livros

“The Godspell Experience: Inside a Transformative Musical” – Frases de Livros

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

O filme musical Godspell – A Esperança (1973) é uma das grandes memórias que tenho da infância.

A peça de teatro que originou o filme é retratada no livro “The Godspell Experience”, de Carol De Giere, que li no Kindle (hoje somente em inglês).

De forma irreverente, Godspell nos apresenta o Evangelho segundo São Mateus sob uma perspectiva única: Jesus e os apóstolos retratados como palhaços e representando o lado mais humano, brincalhão e ao mesmo tempo sublime de tantas passagens do Evangelho, e claro, através de músicas épicas como “Day by Day” e “Prepare ye the way of the Lord”, dentre outras.

O livro retrata o começo da peça, detalhes e letras de todas as músicas do espetáculo, bem como a filosofia por trás das escolhas que foram feitas para tornar essa peça uma das mais famosas nos Estados Unidos a muitas décadas. Aqui no sul, o Movimento de Emaús em Porto Alegre adquiriu os direitos e representa a peça com o título “Day by Day” com algumas adaptações.

Recomendo a todos que curiosidade de conhecer um outro tipo de Jesus Cristo a assistirem Godspell e se deliciarem com as maravilhas do Evangelho.

Vamos as melhores frases que grifei do livro:

  • Ele decidiu chamar a peça de Godspell, usando a grafia arcaica do inglês para gospel, que significa boas novas.
  • Tebelak pediu-lhes que considerassem como seria sua experiência pessoal se conhecessem Jesus. Ele dizia: “Se esse tipo de pessoa (Jesus) entrasse em sua vida por um período de um dia, esse tipo de alma perfeita, que tipo de pessoa você se tornaria?”
  • Nas palavras de Schwartz, “um grupo de pessoas díspares lentamente se torna uma comunidade construída em torno de um indivíduo carismático (Jesus), que então os abandona e eles têm que continuar como uma comunidade sem ele”.
  • Portanto, os criadores de Godspell não viam os palhaços como brincalhões passivos, mas como indivíduos separados dos outros, promovendo ativamente a transformação ou revelação da verdade.
  • David Haskell disse algo semelhante a um entrevistador em 1973: “Palhaços podem aliviar situações tensas. Faça rodeios. Se alguém se machuca, surgem os palhaços. Eles fazem todos se sentirem melhor. Jesus era assim. Ele ensinava o que havia de errado com o mundo. Ele também tentou fazer as pessoas se sentirem melhor. “
  • A cada cenário, os palhaços se transformam em personagens que se adaptam ao ambiente. Stephen Schwartz comenta: “O que acho importante, como digo na Nota ao Diretor no roteiro, é que esses oito estranhos estão procurando respostas para suas vidas e se tornam cada vez mais hostis às idéias e pontos de vista uns dos outros, até João / Judas chega e anuncia a vinda de alguém que lhes mostrará outro caminho (‘Preparai os caminhos do Snehor’).
  • “A maneira como definimos ‘Godspell’ é que cada um de nós nos apaixonaríamos por esse personagem, Jesus, e um pelo outro, então passaríamos por essa jornada emocional extraordinária.” – Peggy Gordon
  • Quando conheci Stephen Schwartz e Danny Goldstein há mais de um ano, eles descreveram Godspell como a história de um grupo de pessoas que, no início do show, não consegue se comunicar, como se estivessem falando línguas diferentes. (Para aqueles de vocês que conhecem bem a Bíblia, essa é a sequência da ‘Torre de Babel’.) E então, ao longo do programa e graças à liderança de um indivíduo, eles aprendem a falar uns com os outros e como se dar bem . . . independentemente da religião, raça ou afiliação partidária. E aprendendo o que é realmente importante, eles aprendem a viver cada dia juntos em harmonia (literalmente!). “
  • “Há algo difícil de descrever sobre a experiência de ‘Godspell’. Quando o show é apresentado corretamente, o público se torna parte do show e, portanto, parte da comunidade que está sendo formada a cada apresentação. Quando isso acontece, pode ser transformador para o público. “- Stephen Schwartz
  • “Judas quer que Jesus seja mais revolucionário – para varrer a velha ordem e os gatos gordos, por meios violentos, se necessário. Quando ele começa a ver que a filosofia de Jesus é ‘virar a outra face’, ele fica desiludido, e é isso que leva à traição.
  • Mais tarde, durante “On the Willows”, eles devolveram os itens ao baú com a atitude de que haviam formado novas identidades com base no que haviam aprendido com Jesus, e as armaduras externas não eram mais necessárias
  • Se você entrar em qualquer santuário do mundo – uma igreja, templo, mesquita ou outra casa de culto – você espera encontrar uma atmosfera solene. Se você comprar ingressos e assistir a uma produção de Godspell, encontrará tudo menos solenidade, pelo menos no sentido tradicional. Jesus brinca, dança, ri, brinca e canta, assim como todos ao seu redor.
  • Para Tebelak, o livro de Harvey Cox, “The Feast of Fools”, o ajudou a justificar seus sentimentos de que o bom humor é espiritualmente apropriado. Ele comentou em uma entrevista publicada: “The Feast of Fools” diz que não podemos apenas reverenciar a Cristo, mas também nos divertir com Ele. Muitas vezes o prendemos nesta face de agonia que Ele experimentou apenas nas últimas horas de sua vida, destruindo assim os trinta e três anos de sua vida quando Ele espalhou felicidade ao seu redor. “
  • De acordo com alguns escritores cristãos contemporâneos, toda a noção de que a religião deve desdenhar a diversão e a alegria é ela mesma baseada em um mal-entendido das Escrituras e do papel de Jesus.
  • O humor e o riso estão no cerne da vida espiritual, explica que, como o humor está vinculado à cultura, muitos leitores da Bíblia não perceberam o humor nas passagens. Ele observa, como exemplo de humor, que a expressão de Jesus sobre colocar uma lâmpada embaixo do alqueire teria sido muito engraçada para as pessoas ao seu redor.
  • O Jesus do Godspell também pode ser descrito como um professor. Ele inspira aqueles ao seu redor expressando princípios universais. Uma das muitas lições que ele oferece às pessoas ao seu redor é o princípio conhecido como Regra de Ouro – sabedoria moral que pode ser encontrada nos ensinamentos de muitas religiões diferentes.
  • Nina Faso afirma: “A ressurreição é o fim do show – é ‘viva Deus’. É quando eles colocam Jesus acima de suas cabeças e começam a cantar. Começa aí, e é isso. “
  • Certa vez em um espetáculo, no último minuto, John-Michael disse: ‘Você não vai conseguir sair por trás. O que quero que você faça é que, quando tirar Jesus da cruz, dê uma volta, abriremos as portas dos fundos para você, que têm cerca de três metros de largura, e o que quero que você faça é tirá-lo e ir embora. Naquela noite estava nevando. Posso imaginar como deve ter sido para o público, porque as pessoas nos procuraram durante dias para nos contar sobre isso. Enquanto caminhávamos com Jesus sobre nossos ombros e os membros da equipe abriam as portas, estava escuro como breu, exceto pela neve que caía. E nós saímos e eles disseram, ‘Você desapareceu no mundo.’
  • Schwartz explica que escreveu a música de “Save the People” para seguir o arco emocional do personagem de Jesus: “O primeiro verso é apenas o violão o acompanhando e depois cresce um pouco, mas ainda é muito acústico. Então, quando ele começa a se tornar mais de uma figura carismática que vai atrair as pessoas, a música se torna mais pop eletrizante. De repente, ele pega o microfone e começa a cantar nele. “
  • Seu refrão “God Save the People!” foi uma paródia do hino nacional britânico, “God Save the Queen”, sugerindo que apoiar as pessoas comuns é a oração mais digna. Frases líricas como salvar “Não tronos e coroas, mas homens!” parecia se adequar ao caráter de Jesus em Godspell.
  • O que Jesus queria? Para proteger as pessoas comuns que ele se reuniu ao seu redor; que Deus os salve do desespero e de todos os problemas que vêm da falta de amor. E isso configura o resto da ação de Godspell.
  • Sua sensação era que as primeiras canções do show tinham uma complexidade acelerada, com os filósofos, o batismo e o público ficando confortável com Jesus no papel de palhaço. “Day by Day” foi um ponto de virada – o coração do público foi totalmente capturado e todos relaxaram com a performance.
  • A maioria da letra de “Day by Day” são de Richard of Chichester (1197-1253), que foi o bispo de Chichester no Reino Unido. Ele era considerado um homem santo que foi canonizado pelo Papa Urbano IV em 1262.
  • Na mente de Salazar, o “você” em “You’re the light of the world” era o público. “O público nos viu apresentar as lições e parábolas e, nesse ponto, fomos capazes de dar a volta por cima e dizer que vocês estão todos conosco nesta jornada.”
  • Uma das memórias mais vívidas da minha experiência com Godspell não é realmente agradável. Quando eu estava saindo de casa na noite de estreia, meu pai disse: “Mal posso esperar até que Godspell acabe para que você possa trabalhar um pouco por aqui”. Desnecessário dizer que sua falta de apoio teve um grande impacto em mim. Eu fui ao teatro e fiquei muito emocionado. O Sr. James me consolou e disse todas as coisas certas – ele deu o apoio que eu não recebi de meu pai. Nunca vou me esquecer disso.
  • A esperança de John-Michael Tebelak era que Godspell fizesse diferença na vida das pessoas. Peggy Gordon lembra-se dele dizendo palavras no sentido de: “Quero que sejam duas horas em que o público fique tão encharcado e abraçado pelo amor e pela alegria que saia daqui transformado, em qualquer nível. Não necessariamente. ser religiosamente, mas em algum nível eles saem daqui transformados. “